Stereo & Immersive decorreu entre 27 e 29 de outubro de 2016

Decorreu, entre 27 e 29 de outubro, na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias e na Faculdade de Belas Artes de Lisboa, a segunda edição da conferência internacional Stereo and Immersive Media 2016, uma conferência dedicada à investigação em fotografia estereoscópica, este ano com o foco também nos estudos de som.

No entanto, todos os media imersivos se fizeram representar, dos tradicionais Panoramas, aos Jogos Vídeo, à Realidade Aumentada e à Realidade Virtual.

dscn4360

Grupo na Casa Estúdio de Carlos Relvas, Golegã

Nos três dias, a conferência reuniu 45 conferencistas oriundos de 14 países diferentes, do Brasil à Índia, da Rússia à Alemanha, da França ao Reino Unido, para destacar apenas alguns países presentes, com artistas da imagem e do som, investigadores da fotografia, do cinema, das artes visuais e sonoras, bem como das mais recentes tecnologias de mediação, como a Realidade Virtual, trazendo também para o debate arquivistas, coleccionadores e conservadores de vários museus nacionais e estrangeiros.

Larry Schaaf abriu a conferência com uma reflexão em torno da invenção da fotografia pelo britânico William Henry Fox Talbot.

Schaaf é professor da Universidade de Texas em Austin (EUA) e da Universidade de Oxford, no Reino Unido, e diretor da edição do “Catalogue Raisoné William Henry Fox Talbot”.

Foi fundador do projeto de tratamento e disponibilização em linha da Correspondência de William Henry Fox Talbot, o pioneiro da fotografia de que é um dos mais reputados especialistas.

Nicholas Wade, professor Emérito da Universidade de Dundee, na Escócia, e especialista na história cultural e científica dos sentidos humanos, mostrou as interações entre a pesquisa sobre a visão e sobre a audição e a sua relação com a estéreo … escopia e fonia.

Depois de um intenso programa de trabalhos, a conferência encerrou com Denis Pellerin que partilhou as suas mais recentes descobertas sobre os diversos dispositivos estereoscópicos do inventor da estereoscopia, Charles Wheatstone, de que a maioria dos investigadores apenas conhecia uma única versão.

Pellerin demonstrou ainda como as primeiras experiências de animação das imagens fotográficas ocorreram a partir de pares estereoscópicos!

As visitas à Casa Estúdio de Carlos Relvas, fotógrafo português do século XIX (1838 – 1894), na Golegã, e ao estúdio de conservação de fotografia de Luís Pavão, em Lisboa, encerraram os trabalhos desta edição.

14676603_624769484372371_4873896357418500096_n

Entrada da Universidade Lusófona (fotografia tirada po Denis Pellerin)

14717404_636042793236469_8239766788825415680_n

3º Dia, Casa Estúdio de Carlos Relvas, Golegã (fotografia tirada po Denis Pellerin)

IMG_2045-1-e1478510325175

Denis Pellerin na câmera escura

A conferência é uma iniciativa do grupo de investigação em Media Studies do CICANT – pólo do CIC.Digital da Universidade Lusófona, e de uma equipa multidisciplinar dirigida pelo professor Victor Flores.

Destaque

Durante a conferência Internacional Stereo and Immersive Media 2016, lançaram-se três publicações que constituem o culminar dos trabalhos da primeira edição desta conferência:

  • O livro de Atas da conferência de 2015;
  • O segundo número do International Journal of Film and Media Arts;
  • Versão promocional do livro final do projeto de investigação sobre a fotografia estereoscópica em Portugal, intitulado A Terceira Imagem